ensino de programacao

IoT e a Educação: apertem os cintos a viagem apenas começou

internet_of_things_-_education-720x360

Imagine que você professor queira ensinar programação para seus alunos utilizando a plataforma Arduino, mas a escola não tem verba para a compra de kits, não seria interessante ter um laboratório real, conectado a internet no qual os alunos pudessem enviar seus programas e pudessem ver como o circuito montado com Arduino se comportaria? Neste sentido, já existe um projeto muito interessantes que funciona como um laboratório a distância de prototipagem com Arduino, o Blockino.

E robótica? Imaginem poder ensinar programação, física, matemática não somente com simuladores mas com robôs reais que não estão fisicamente nos laboratórios das escolas mas que estão ligados a internet, eu programo aqui e ele roda lá e lá pode ser qualquer lugar do planeta onde o robô possa se conectar com a Internet.

Em todos esses exemplos nós temos “coisas” conectadas à Internet e sendo utilizadas como ferramentas e recursos para os ambientes de sala de aula, estamos falando de IoT. Você sabe o que é IoT? Vamos lá, Internet das Coisas é o conceito no qual iremos ver muitas coisas, sejam elas as que costumamos conectar à Internet (celulares, computadores, tablets) ou que nem sonhamos que poderiam estar coneciottados à grande rede(como por exemplo uma cafeteira, um ar condicionado, uma geladeira ou até mesmo nossos tênis) e que através da computação nas nuvens possamos processar dados vindos desses equipamentos e dotá-los de uma certa inteligência.

E o que podemos fazer com tudo isso na educação? Apertem os cintos meus amigos, podemos fazer muita mas muitaaaa coisa mesmo, vamos viajar um pouco? Pode-se realizar um trabalho colaborativo entre disciplinas compartilhando na nuvem louças digitais. As atividades de ciências, tecnologia, engenharia e matemática podem todas ser enriquecidas com um laboratório com sensores que apoiem os estudos e pesquisa dos alunos, enfim as possibilidades são gigantescas. Dá uma olhada como poderia ser uma dia de aula em uma cidade inteligente e em uma escola cheia de conectividade.

Além das aplicações em sala de aula propriamente ditas, a IoT pode ajudar no gerenciamento  do ambiente escolar, imaginem utilizar o celular dos alunos para fazer a chamada, ou seja, através da localização dos alunos poder verificar se eles estão ou não em uma determinada aula os alunos por sua vez podem encontrar os professores e saber a disponibilidade de cada uma.

Além dos dispositivos móveis, não podemos esquecer dos ambientes de apoio ao ensino que estão todos disponíveis na internet que já possibilitam um aprendizado inovador como uma sala de aula invertida, aprendizagem baseada em projetos e muito mais.

Você deve estar falando: “Mas isso funciona fora do Brasil, aqui no Brasil com essa internet, isso é impossível!!”. Não vou mentir meu caro amigo leitor, nós temos uma grande luta pela frente pois se antes a ideia era realizar inclusão digital, dando simplesmente acesso a computadores, hoje a inclusão digital deve adicionar ao ambiente acesso à internet e equipamentos de prototipação por exemplo. A implantação de fablabs em ambientes carentes e periferias, o movimento maker e outras iniciativas podem ser uma boa forma de adequarmos esses ambientes onde existe déficit de tecnologia. Aqui tem um post sobre fablabs, movimento maker e educação.

jovens-e-o-uso-de-dispositivos-mveis-smartphones-e-tablets-3-638Outra aspecto que ao meu ver devemos olhar com carinho, é a entrada em sala de aula de aparelhos smartphones, é sabido que em muitos lugares no nosso país as pessoas não tem computador mas têm smartphones e acesso, mesmo que lento, `a internet. Por que não usar isso ao nosso favor?  O celular acaba sendo o dispositivo mais usado para acesso a internet pelo pessoal de 15 a 24 anos.

E que tal utilizar o celular como um grande laboratório de ciências? Pensando nisso a Google lançou o Science Journal que é uma ferramenta de ciências para smartphones, ele é um grande ambiente de laboratório de ciências que usa os sensores existentes nos próprios celulares e podem facilmente serem adaptados para atividades em sala de aula, em resumo: IoT+Smartphones , tem como não amar?? Dá para adicionar sensores externos e brincar muito com essa ferramenta!!!! Em breve atividades utilizados esse app vão aparecer por aqui!!!

A Internet das Coisas pode e já está sendo utilizada como um recurso enriquecedor de sala de aula, cheia de discussões e pesquisas ao seu redor envolvendo acesso `a  Internet, segurança de dados e privacidade dos alunos. Mas o que não pode-se negar é que de novo a tecnologia está ai para ser utilizada como ferramenta e não como solução de ambientes educacionais, sendo aliada de todas as pessoas envolvidas na educação. E você, o que acha que podemos ganhar ou perder com a IoT quando se fala de Educação?

Anúncios

1 thought on “IoT e a Educação: apertem os cintos a viagem apenas começou”

  1. Que projeto incrível! Grato por compartilhar esse projeto. A escassez sempre gera boas ideias, rsrs. A falta de recursos é grande e impossibilita a compra de arduínos, mas a qualidade da internet ainda é um grande desafio. 😦

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s